<BODY> ~*~* Meu Bebê Dudu *~*~


Dudu




Meu filhinho Eduardo nasceu no dia 17 de setembro de 2005, às 1h 40, em Brasília/DF, pesando 3,915kg e medindo 51 cm, um garotão com certeza! Hoje ele está às vésperas de completar 2 anos. É um menino muito ativo, carinhoso e inteligente. Uma maravilha!


1º Blog – Gravidez
2º Blog – Parto
3º Blog – Vida de Bebê
4º Blog – Até 1 Ano



Mamãe




Meu nome é Catarina e sou autora desde blog que começou em 29/5/2005. Aqui estão registradas as experiências de uma mãe de primeira viagem muito feliz desde a descoberta da gravidez em 9/1/2005. Na época eu tinha 28 anos e 6 anos de casada com o Rubens, pai do Dudu. Deixo aqui nossos momentos de alegria, ansiedade, paz e luta para eternizá-los na memória dos que lerem este blog.



Papai




Este é o pai do Dudu e meu marido com quem sou casada desde maio/1999. Ele é um pai muito carinhoso e presente.



Irmão Guilherme




:: Blog do Guilherme



Na Barriga




A gravidez do Dudu foi o período mais feliz e pleno de toda a minha vida. A felicidade em estar grávida era tanta que todos os desconfortos foram recebidos com alegria. Fiquei grávida por 40 semanas e 3 dias, engordei 17 kg e aprendi bastante sobre gravidez e parto. Tivemos uma doula que nos ajudou muito antes, no dia do parto e depois dele, a querida Clarissa Kahn.



Parto




Senti as primeiras contrações às 10h 30 do dia 16/9 no trabalho, onde fiquei até às 17h. Minha intenção era ficar o maior tempo possível em casa evitando assim intervenções desnecessárias e assegurando a chance de ter um parto normal. Desde que engravidei meu sonho era trazer o Dudu ao mundo da forma mais natural possível. Assim, naquele dia senti a dor mais maravilhosa que existe e num turbilhão de emoções o Dudu nasceu após 6 horas de trabalho de parto ativo. Como foi fantástico sentí-lo sair de mim! Depois desse dia tive certeza que eu era capaz de tudo na vida e me sentia uma vencedora de maratona. Obrigada, Dudu, por ajudar a mamãe nesta hora tão crítica.



Amigos


:: Adri, Sofya e Emanuelle
:: Ageu e Matheus
:: Alê e Pedro Luís
:: Aline e Júlia
:: Aline e Bárbara
:: Aline e Ric
:: Alyne e Matheus
:: Ana e Lorenzo
:: Andreza e Teru
:: Ângela e Matheus
:: Bia e Lucas
:: Bia, Lucas e Thiago
:: Bia, Yohana e Yan
:: Bina e Brenda
:: Carla e Marina
:: Cris e Ícaro
:: Cris e Lucas
:: Cristina e Sarah
:: Cristina, Ingrid e Anne
:: Chrystina, Bruno e JP
:: Dani e Caio
:: Dedéia, Pedro e Júlia
:: Eva e Lucas
:: Fabi e Catarina
:: Jack, Ruan e Paulo Victor
:: Jane e Maria Júlia
:: Kátia Regina e Ana Luísa
:: Keila, Lucas e Gabriel
:: Keity e Lucas
:: Lílian e Nicolas
:: Lisa e Eduardo
:: Lívia e Miguel
:: Lu, Guilherme e Gustavo
:: Mary e Camila
:: Nádila e André
:: Noelma, Pedro e Ana
:: Paty e Gigio
:: Pri, João e Maria
:: Ranne e Maurinho
:: Renata, Isabella e Eric
:: Ruth e Davi
:: Roseli e Breno
:: Ryvane e Ana Clara
:: Selma, Alex e Natália
:: Simoni e Henrique
:: Tábata, Gab e Gui
:: Taci e Danilo
:: Telma e David
:: Valéria e Júlia
:: Valéria e Tikinha
:: Vanessa, Davi e Pedro
:: Ví e Amélie (senha)
:: Vi, Thiago e Júlia
:: Rosileide e Ana Beatriz
:: Bia e Biel
:: Camila e Helena
:: Kelly e Eduardo
:: Fran e Madu
:: Fê Biel e Gui
:: Flávia, Giovanna e Miguel
:: Roberta, Lucas e Diego
:: Mara e Bia
:: Lígia e Vivi
:: Lea e Davi
:: Fabi, Babi e Bia
:: Débora e Dudu
:: Fê e Amandinha
:: Vivi e Francisco
:: Márcia e Mel
:: Simoni e ?
:: Thaty e Alice



Visitas




Mural





Hoje é...






Música





Link-nos


Pegue nosso selinho





Pegue nosso selinho





Pegue nosso award







Passado


Blog Antigo

Arquivos:
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Outubro 2009
Março 2010
Maio 2010



Parceria



Blog Brasil Acadêmico


Créditos



Conceitos Design

eXTReMe Tracker





terça-feira, 15 de abril de 2008

Lilypie 3rd Birthday Ticker



Uma escola diferente

Olá amigas!
Quando demoro a aparecer é por que com certeza estou aprontando algo...rs...

Depois da visita de uma amiga da época da universidade, resolvi conhecer a escolinha de seus filhos. Vcs sabem bem a imagem que tenho da escola e por isso minha idéia de levar meus meninos para essa “selva” o mais tarde possível. Contudo, depois de milhares de elogios a uma escola em particular resolvi investigar.

Escola Waldorf. É uma escola de filosofia muito bonita e diferente das escolas tradicionais.
Retirei esse texto de um site sobre Waldorf:
A idéia base da escola é:
"Cada coisa em seu devido tempo” e não "quanto mais cedo melhor".
*
"Por isso é mal colocada a preocupação de que um tempo de vida valioso das crianças será desperdiçado, se elas não entrarem mais cedo na escola. Um jardim de infância não é uma sala de espera, onde nada ocorre e só se mata o tempo; pelo contrário, é um local efetivo de aprendizado. Nele, as crianças conquistam, por exemplo, por meio do (e no) brincar, capacidades fundamentais como competências no movimento, na linguagem, nos âmbitos social e ético-moral, sobre as quais mais tarde é construído o aprendizado escolar.
*
Na pedagogia Waldorf a maturidade escolar não é decidida somente por meio de uma olhada no calendário. Ela não é definida como um estado a ser atingido, mas ligada a processos complexos de desenvolvimento, cujo julgamento cabe conjuntamente aos pais, educadores, médico escolar e professores que cuidam da admissão.”


Hoje, a pressão para que as crianças entrem no mundo competitivo começa no maternal. Eles precisam fazer milhares de coisas enquanto bebês senão pode ser tarde demais. Para quê? Eu até tenho que me policiar senão acabo entrando nessa onda.
*
Consumismo. E a competição por quem tem o tênis mais caro, ou a mochila mais “da moda”, ou o celular mais “tecnológico”. Afe! Nunca tem fim!
*
Apesar de não ser “bicho-grilo”, detesto essas noções consumistas desde o jardim de infância. Gostaria que meus meninos fossem educados em uma escola que desse mais valor ao ser humano que ao dinheiro.
*
Por exemplo, nessa escola Waldorf, eles pedem para a criança não levar ou usar coisas “de marca”, evitando assim reproduzir na escola o ambiente extremamente consumista de nossa sociedade. Ponto positivo.
*
Certeza. Meus meninos teriam uma formação humana de altíssima qualidade num ambiente como esse. O que me motivou a procurar informações sobre a pedagogia Waldorf.
*
Alfabetização. A idade de alfabetização é depois dos 6 anos e isso eu ainda tenho que pensar se aprovo, rs...
*
Professora. O que achei super legal é que a classe fica com a mesma professora por alguns anos. Assim, essa profissional conhece de fato seus alunos, suas dificuldade e facilidades.

Humanidade. Minha questão maior quando imaginava uma escola era encontrar um lugar que ensinasse valores e se preocupasse com o ser humano sem a carga da religião. Percebi que somente as escolas religiosas têm preocupação com a formação do ser humano, contudo não me agrada associar o ser bom a uma vontade ou castigo divino: “vc deve ser uma boa pessoa senão Deus castiga”. A pessoa deve ser boa sem um deus para castigar ou premiar.
Acredito que se pode ensinar bons valores às crianças sem a presença da religião. Mas onde está a escola que faz isso? Também não me agrada aquelas escolas que jogam conteúdos sem respeito à individualidade da criança e a sua maturidade emocional. E pior sem se preocupar com sua formação humana.

Daí o problema: existe uma escola humanizada sem a carga da religião ou esoterismo?

Dúvida. Como sempre, rs, fucei a internet à procura de informações sobre essa tal Waldorf. Embora eu conhecesse a idéia básica dessa escola, meu maior questionamento era:
Será que uma criança ao sair de lá consegue se inserir no modelo tradicional no futuro? Será que meus filhos seriam prejudicados academicamente? Será que eles seriam capazes de fazer provas? Será que virariam artistas por falta de capacidade? Rs... nada contra, mas não é meu "objeto de consumo" para os meninos.

Buscando respostas, uma parte dela veio de minha amiga cuja filha saiu desse modelo escolar para um tradicional e virou a melhor aluna da classe além de se integrar bem ao novo grupo; isso aconteceu com mais duas coleguinhas que foram para escolas diferentes. Achei também uma pesquisa sobre crianças Waldorf que baseada em dados estatísticos desmistificou muitos dos meus medos.

Diante do embasamento teórico, rs, by Google, rs, fui à escola para colher impressões.

Devo ser uma pessoa muito complicada mesmo...rs...

Ida à escola. Fui com os meninos e a Lú. Ao chegar lá, tive um choque. Rs...
*
A escola parecia um sítio! Cheia de árvores e terra vermelha por todos os lados. A palavra mais doce para descrevê-la é RÚSTICA. Rs...
*
Minha primeira impressão não foi das melhores, rs... Acostumada com a visão asséptica de quadradinha de escola, terra e lama não era bem um conto de fadas, rs...
*
Olhei para o chão imundo de terra vermelha e detestei, rs... Estou sendo sincera...
Sou uma pessoa extremamente urbana...metida num paraíso rural só poderia dar nisso, rs...
*
Havia três mulheres varrendo o chão e continuaram fazendo isso da hora em que cheguei até a hora em que saí da escola. Mas o chão continuou com terra, pois as crianças estavam no intervalo correndo e brincando por todos os lados. Pelo menos não vi ninguém ralhando com as crianças para que não corressem.

Apesar dessa impressão ruim, os meninos pareciam ter chegado ao paraíso... só faltou o Guilherme gritar: -Me larga , mãe! Ambos saíram correndo como loucos, tentando se misturar às crianças...rs... Uns subindo nas árvores, outros no tronco do chão, outros no balanço, eram seres livres...
*
Visitamos as salas da escola toda.
*
E o chão imundo de terra, rs..., havia terra vermelha inclusive nas salas do andar superior...
*
Maternal. As salinhas do maternal tinham uma mesa grande com banquinhos, geladeira e fogão de verdade onde as crianças aprendem a fazer sua comida com as professoras, banheiro e cantinho para descansar.

Bem na hora que chegamos, as crianças estavam comemorando um aniversário. O curioso foi o cardápio da festa: bolo de chocolate, uma enorme salada de alface+tomate+cenoura, várias frutas e outras coisas. Não havia tema ou balões. Rs... Que festa diferente, né? Rs... Em casa eu jamais faria uma coisa daquelas apesar de achar muito válido ensinar as crianças a comer direto. Mas numa festa? Rs... nem pensar...é contra minha filosofia “festeira formiga de ser”.

A Lú, que adorou a escola desde o início, ficou admirada com um menino que comia, com boca boa, um pão com uma folha enorme de alface. Rs...

E meus olhos não conseguiam parar de olhar para o chão vermelho de terra, rs...

A essa altura os meninos já haviam se misturado às crianças no parquinho e por nada queriam ir embora.

Religião. Perguntei à secretária se eles ensinavam religião ou antroposofia na escola e para minha alegria a resposta foi negativa. Sinceramente, eu não gostaria que os meninos começassem a ver duendes, ou seres de Atlântida, rs...

Lista de espera. Fiquei sabendo que a escola tem lista de espera para conseguir uma matrícula, aí fiz o cadastro para vagas em 2009. Ainda acho que serão pequenos demais, mas para garantir uma vaga caso eu decida matriculá-los... Minha vontade é levá-los somente em 2010 para a escola, os dois juntos.

Outra coisa que gostei é que ficarão na mesma sala, pois a escola pratica a verticalização. As crianças de 1ano8meses até 4 anos ficam juntas, só se separando posteriormente. O judô me fez ver que isso é muito positivo.

Mas o chão continuava barrento, rs...

Quando consegui convencer os meninos a ir embora, a escola me pareceu um pouco mais agradável, rs...
Definitivamente não é uma escola para mim, mas reconheço que seria excelente para o Dudu e o Guilherme. Meus meninos gostam é de terra, lama, água, troncos, pedras, liberdade para serem crianças...

Quanto a mim, a escola ainda me parece meio chácara e como não gosto muito de ambientes rústicos...rs...

Contudo, a filosofia Waldorf é exatamente o que eu procuro para formar meus meninos. Um lugar simples onde a humanidade é cultivada desde o maternal evitando ao máximo a ostentação e muitos malefícios de nossos dias. Isso é o meu sonho. Não é uma escola perfeita, mas acho que vai por um bom caminho. Os "naturebas" têm umas idéias muito boas, rs...
*
Levarei o Rubens para ele observar a escola e tirar suas conclusões. Estamos em fase de pesquisa, rs...

Saí de lá com a terra vermelha na cabeça...rs...

Imagina as roupas dos meninos? Imagina os pés vermelhos? Tenho certeza que depois de alguns meses seus pés ficariam vermelhos para sempre, rs...

O pessoal da OMO deveria fazer um teste por lá, rs...
*
Beijos a todas.



Às 13:10

1 Aqui também pode!

1 Comentários:

Catarina!!!
EU AMEI a filosofia Waldorf!! caramba, esse teu post parecia um sonho, tudo que eu procuro para o Teru, tava até nervosa achando que vc ia falar, "é mentirinha, escola assim só em sonho" Sério, apesar de vc toda hora citar a terra vermelha!kkk Não é meu sonho coloca-lo numa escola rústica, mas essa tá bom de mais, é mais sádio rs. Reserva para 2009, já?! Acho cedo, mas creio que nessa escola seja bom, agora nas convencionais "normais" não, tô com vc ;-)
Eu vou te enviar o selinho por email, ok!
Teu blog é 1.000 Cat, muitooo conteúdo!
Bjokas***

By Anonymous Andreza & Teru, at 15 de abril de 2008 19:58  

Post a Comment